sábado, 19 de dezembro de 2009

Recompensa

Por ter sido uma boa aluna de física, sei que toda ação corresponde uma reação. E assim, tudo que fazemos, tem um retorno. Somos resultado de nossas escolhas, de nossos atos, somados a centenas de anos de genética.
Meu pai, vendo minha filha ainda bebê, falou que aquela criaturinha era o sentido de continuarmos vivendo. Eu diria que é nossa recompensa. Hoje vejo minha filha cuidando da sua filha da mesma forma, com o mesmo instinto. Ver sua dedicação me comove, me faz lembrar de mim, de minha mãe, de minha avó.
"Minha dor é perceber que apesar de termos feito tudo que fizemos, ainda somos os mesmos e vivemos como nossos pais." Esta frase do Belchior me acompanhou por muitos anos, porque queremos ser melhores que nossos pais. Graças! Mas, aí, vem a compreensão: somos iguais, estamos devolvendo o que nos deram. É uma devolução para a frente. Vejo minhas reações... compreendo... vejo minha mãe sofrer por mim, vejo meu pai sofrer por mim.
A filha de minha filha é dela. O cuidado com o filho permanece. Vi muitas vezes minha mãe me protejendo de minha própria filha. E,agora me vejo fazendo o mesmo. Tudo tudo que vem do filho a gente venera. Você vê seu filho gerando outro ser humano perfeito. É a perfeição da perfeição. É a recompensa da dedicação, da abdicação, do cansaço, do amor incondicional.

sexta-feira, 13 de novembro de 2009

IT Girls It Bags It Grammas

Em trinta anos lidando com tecnologia da Informação, vi a tecnologia se transformando, se minimizando. De máquinas imensas, ocupando uma sala, hoje cabem na palma da minha mão.
Em vinte anos lidei com a TI de forma direta, trabalhando com programação, com sistemas. Fui uma pessoa que atuou diretamente nessas transformações: de sistemas rígidos, a flexíveis; de telas monocromáticas a supercoloridas; de sistemas para poucos usuários a esta grande highway que é a internet.
Faltam poucos dias para me tornar uma avó. E como a moda é ser IT (Information Tecnology), como IT girls e IT bags, como vi outro dia numa revista, lanço a moda da IT Gramma, ou, a vovó da Tecnologia da Informação.
A imagem da vovó, fofa, como foi a minha, que recebia os netos com gostosas comidinhas; que pouco falava e muito ouvia; que corria atrás da gente com um cipó na mão após uma malcriação; que fazia promessas e as cumpria conosco no colo; que rezava todos os dias o terço pedindo por todos os netos, que são muitos; que nunca deixou de atender a um chamado nosso; esta imagem não vai se repetir, por mais que eu tente, por mais que eu queira.
Eu sou a geração que será da IT Gramma, como minha neta é uma IT baby: já nasce com as fotos postadas online. A bisa -sim, ela tem bisa- vai conhecê-la pela internet.

Como uma IT Gramma vai lidar com a IT baby neta? Mais uma transformação na minha vida. Quero ser também co-autora desta mudança. Quero aprender, mas, sobretudo, amar muito.