sexta-feira, 5 de novembro de 2010

Dilma é a 16ª pessoa mais poderosa do mundo, segundo ranking da 'Forbes' - O Globo

Dilma é a 16ª pessoa mais poderosa do mundo, segundo ranking da 'Forbes' - O Globo

quarta-feira, 6 de outubro de 2010

Manifesto de Reitores das Universidades Federais à Nação Brasileira

Pessoal,
Peço licença para "invadir" a caixa de mensagem de todos com umManifesto encaminhado pelos reitores das universidades brasileiras. Temos umasituação séria neste segundo turno das eleições presidenciais: a opçãode escolher entre o sucateamento ou a reestruturação da UniversidadePública.
Como sabemos, a política normativa do PSDB é investir na iniciativaprivada e desestatizar a educação. Por outro lado, o atual governoimplementou o REUni, plano de reestruturação da universidade pública.Nesses últimos 8 anos, foram centenas de concursos para professoresadjuntos, outras dezenas para técnicos e assistentes e a manutenção daURP - discussão essa que se arrasta desde o governo de FernandoHenrique e que o próprio presidente Lula se encarregou de garantir opagamento. Para os pós-graduandos, a oferta de bolsas CAPES e CNPq foitão grande que, em meu curso, tivemos que devolver algumas. Nofuncionalismo público, foram outras centenas de concursos para nívelmédio e superior...
Desta forma, encaminho um Manifesto de Reitores das Federais, queconsidero de suma importância para nossa tomada de decisão neste 2oturno. Acredito que todos nós, envolvidos e comprometidosacademicamente, devemos refletir sobre o impacto das políticas queserão adotadas. Desde já, agradeço pela "recepção" em suas caixas deentrada e peço desculpas àqueles que não gostaram de receber estamensagem.
Um abraço,
_______
EDUCAÇÃO – O BRASIL NO RUMO CERTO(Manifesto de Reitores das Universidades Federais à Nação Brasileira)Da pré-escola ao pós-doutoramento – ciclo completo educacional eacadêmico de formação das pessoas na busca pelo crescimento pessoal eprofissional – consideramos que o Brasil encontrou o rumo nos últimosanos, graças a políticas, aumento orçamentário, ações e programasimplementados pelo Governo Lula com a participação decisiva e diretade seus ministros, os quais reconhecemos, destacando o nome doMinistro Fernando Haddad.Aliás, de forma mais ampla, assistimos a um crescimento muitosignificativo do País em vários domínios: ocorreu a redução marcanteda miséria e da pobreza; promoveu-se a inclusão social de milhões debrasileiros, com a geração de empregos e renda; cresceu a autoestimada população, a confiança e a credibilidade internacional, num claroreconhecimento de que este é um País sério, solidário, de paz e depovo trabalhador. Caminhamos a passos largos para alcançar patamaresmais elevados no cenário global, como uma Nação livre e soberana quenão se submete aos ditames e aos interesses de países ou organizaçõesestrangeiras.Este período do Governo Lula ficará registrado na história como aqueleem que mais se investiu em educação pública: foram criadas econsolidadas 14 novas universidades federais; institui-se aUniversidade Aberta do Brasil; foram construídos mais de 100 campiuniversitários pelo interior do País; e ocorreu a criação e aampliação, sem precedentes históricos, de Escolas Técnicas eInstitutos Federais. Através do PROUNI, possibilitou-se o acesso aoensino superior a mais de 700.000 jovens. Com a implantação do REUNI,estamos recuperando nossas Universidades Federais, de norte a sul e deleste a oeste. No geral, estamos dobrando de tamanho nossasInstituições e criando milhares de novos cursos, com investimentoscrescentes em infraestrutura e contratação, por concurso público, deprofissionais qualificados. Essas políticas devem continuar paraconsolidar os programas atuais e, inclusive, serem ampliadas no planoFederal, exigindo-se que os Estados e Municípios também cumpram com assuas responsabilidades sociais e constitucionais, colocando a educaçãocomo uma prioridade central de seus governos.Por tudo isso e na dimensão de nossas responsabilidades enquantoeducadores, dirigentes universitários e cidadãos que desejam ver oPaís continuar avançando sem retrocessos, dirigimo-nos à sociedadebrasileira para afirmar, com convicção, que estamos no rumo certo eque devemos continuar lutando e exigindo dos próximos governantes acontinuidade das políticas e investimentos na educação em todos osníveis, assim como na ciência, na tecnologia e na inovação, de que oBrasil tanto precisa para se inserir, de uma forma ainda maisdecisiva, neste mundo contemporâneo em constantes transformações.Finalizamos este manifesto prestando o nosso reconhecimento e a nossagratidão ao Presidente Lula por tudo que fez pelo País, em especial,no que se refere às políticas para educação, ciência e tecnologia. Eletambém foi incansável em afirmar, sempre, que recurso aplicado emeducação não é gasto, mas sim investimento no futuro do País. Foiexemplo, ainda, ao receber em reunião anual, durante os seus 8 anos demandato, os Reitores das Universidades Federais para debater políticase ações para o setor, encaminhando soluções concretas, inclusive,relativas à Autonomia Universitária.
Alan Barbiero – Universidade Federal do Tocantins (UFT)
José Weber Freire Macedo – Univ. Fed. do Vale do São Francisco (UNIVASF)
Aloisio Teixeira – Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ)
Josivan Barbosa Menezes – Universidade Federal Rural do Semi-árido (UFERSA)
Amaro Henrique Pessoa Lins – Universidade Federal de Pernambuco (UFPE)
Malvina Tânia Tuttman – Univ. Federal do Estado do Rio de Janeiro (UNIRIO)
Ana Dayse Rezende Dórea – Universidade Federal de Alagoas (UFAL)
Maria Beatriz Luce – Universidade Federal do Pampa (UNIPAMPA)
Antonio César Gonçalves Borges – Universidade Federal de Pelotas (UFPel)
Maria Lúcia Cavalli Neder – Universidade Federal de Mato Grosso (UFMT)
Carlos Alexandre Netto – Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS)
Miguel Badenes P. Filho – Centro Fed. de Ed. Tec. (CEFET RJ)
Carlos Eduardo Cantarelli – Univ. Tec. Federal do Paraná (UTFPR)
Miriam da Costa Oliveira – Univ.. Fed. de Ciênc. da Saúde de POA(UFCSPA)
Célia Maria da Silva Oliveira – Univ. Federal de Mato Grosso do Sul(UFMS)
Natalino Salgado Filho – Universidade Federal do Maranhão (UFMA)
Damião Duque de Farias – Universidade Federal da Grande Dourados(UFGD)
Paulo Gabriel S. Nacif – Universidade Federal do Recôncavo da Bahia(UFRB)
Felipe .Martins Müller – Universidade Federal da Santa Maria (UFSM).
Pedro Angelo A. Abreu – Univ. Fed. do Vale do Jequetinhonha e Mucuri (UFVJM)
Hélgio Trindade – Univ. Federal da Integração Latino-Americana (UNILA)
Ricardo Motta Miranda – Univ. Fed. Rural do Rio de Janeiro (UFRRJ)
Hélio Waldman – Universidade Federal do ABC (UFABC)
Roberto de Souza Salles – Universidade Federal Fluminense (UFF)
Henrique Duque Chaves Filho – Univ. Federal de Juiz de Fora (UFJF)
Romulo Soares Polari – Universidade Federal da Paraíba (UFPB)
Jesualdo Pereira Farias – Universidade Federal do Ceará – UFC
Sueo Numazawa – Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA)
João Carlos Brahm Cousin – Universidade Federal do Rio Grande – (FURG)
Targino de Araújo Filho – Univ. Federal de São Carlos (UFSCar)
José Carlos Tavares Carvalho – Universidade Federal do Amapá (UNIFAP)
Thompson F. Mariz – Universidade Federal de Campina Grande (UFCG)
José Geraldo de Sousa Júnior – Universidade Federal de Brasília (UNB)
Valmar C. de Andrade – Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE)
José Seixas Lourenço – Universidade Federal do Oeste do Pará (UFOPA)
Virmondes Rodrigues Júnior – Univ. Federal do Triângulo Mineiro (UFTM)
Walter Manna Albertoni – Universidade Federal de São Paulo ( UNIFESP)

terça-feira, 2 de março de 2010

Perfil

A proliferação de sites de relacionamentos e contatos é uma forte realidade. Cada vez mais as pessoas deixam de enviar as mensagens de piadas para sua agenda, para atualizar o twitter, o buzz, o linkedin, o facebook, orkut....

A forma de comunicação vem mudando a uma velocidade que nem todos conseguem acompanhar.

De repente você deixa de receber piadas para receber pedidos para entrar numa fazenda. E haja solicitação! Se eu for receber todos os presentes, atender a todos os pedidos, não farei outra coisa a não ser acompanhar os muito grupos de toda espécie de jogos, dos mafiosos aos aquáticos, passando por cidades, fazendas, vilas de peixes, um sem fim de jogos.

Alguns destes sites agora atualizam outros. Melhor assim, imagina ter que atualizar todos os status, dar um copy/paste em todas as suas postagens. Ainda assim, está muito a desejar o sincronismo entre eles.

Veja, por exemplo, a questão do perfil: para cada site,você é uma pessoa diferente, esquizofrênica talvez. Tudo bem, você é um profissional e não quer misturar seus dotes físicos e emocionais com seu skill profissional e seus muitos anos de experiência. Mas, uma coisa interessante é que, praticamente, toda a rede de relacionamento de um lado, como a rede do outro lado, mantem os mesmos contatos.

Será que somos tão diferentes a ponto de ter um perfil por site? Então, haja criatividade para mostrar as nossas muitas facetas.

Pensando bem, imagina você dizer que é romantico num site de perfil profissional, ou, você é exerce liderança e tem um grande poder de persuasão, num site de relacionamento amoroso. Complicado.

Tenho eu que escrever meu perfil em poucas palavras. Para qual site mesmo? Qual é mesmo o perfil do site? E se eu estiver escrevendo sobre a pessoa (meu eu) errada? Meu perfil tem a ver com o perfil do site? Crise de identidade.

Levo uma manhã inteira atualizando status, solicitando novos contatos, acompanhando a fezenda, os peixes. Mais uma revolução em nossos hábitos e que certamente mudará.

A tendência geral é a globalização. Sendo assim, a globalização destes sites, ou sua incorporação por outros, é o destino.

Ao se globalizar os relacionamentos e seus muitos tipos, voltaremos a ser únicos, unos, integrais? Com um único perfil?